Buscar

Mulheres e jovens do Acampamento Pe. Josimo entregam cestas básicas em Carrasco Bonito-TO

“Mulheres pela vida contra a fome e a violência” era o que estava escrito na faixa que representava as mulheres e jovens do Movimento Sem Terra na tarde de quarta-feira (10), agricultores e agricultoras camponeses do Acampamento Padre Josimo, do município de Carrasco Bonito. Juntos entregaram cestas básicas para famílias do munícipio.

Uma lista de famílias que necessitavam dos produtos das cestas foi criada a partir de alguns critérios com o objetivo de ajudar as famílias mais necessitadas. “A escolha das famílias seguiu os critérios de que seriam famílias constituídas por mães solo, ou em que os jovens e os adultos estejam desempregados”, explicou Francinete Batista, mais conhecida como Moça Preta.

As mulheres tiveram a contribuição dos jovens participantes do GT das Juventudes e do Coletivo da Juventude. (Fotos: Daniela Souza/APA-TO)

Ao receberem as cestas as mães chefe de família ressaltaram a importância de receberam as cestas agroecológicas durante este período de pandemia, tão complicado no país. “Atualmente nesta casa mora eu e meu esposo, não tenho filhos. A gente trabalha por conta própria: eu sou manicure e pedicure. A cesta agroecológica vai nos ajudar muito, principalmente porque é uma cesta feita com produtos sem veneno”, afirma Franciane Silva que mora em Carrasco Bonito há dois anos.

As cestas foram montadas com produtos 100% agroecológicos cultivados e colhidos no Acampamento Padre Josimo. “Nas cestas a gente colocou farinha de puba, farinha branca, massa de puba, feijão de dois tipos, raízes de macaxeira, arroz e abóbora, tudo produzido no acampamento Padre Josimo. Esse foi o primeiro ano que fizemos esse tipo de ação.”

Essa foi a primeira vez que as mulheres do MST organizaram a entrega de cestas básicas no município de Carrasco Bonito.

Durante a entrega, uma das integrantes do grupo de artesãs Frida Kahlo do Acampamento entregou uma lembrancinha em alusão ao Dia Internacional da Mulher (8 de março). “Esse lembrancinha é símbolo do grupo de mulheres artesãs Frida Kahlo que nós mesmos produzimos e estamos lhe entregando como presente em virtude do Dia Internacional da Mulher. Essa cestas é com produtos todo cultivado no assentamento pe.Josimo. Não trabalhamos com veneno. Só alimentação saudável”, afirmou Raimunda Costa ao entregar o artesanato.

As mulheres que entregaram as cestas são as mesmas que plantaram, colheram e organizaram as cestas. “Oito mulheres, nossos filhos e alguns jovens nos ajudaram a organizamos as cestas básicas. Durante quatro dias nos dedicamos a montar as cestas e a lista de mulheres e famílias que seriam beneficiadas. Fizemos 30 cestas”, declarou Moça Preta.

O jovem Jorge Luís Lima, que participa do MST há 6 anos e do Coletivo da Juventude e do Grupo de Trabalho (GT) das Juventudes da região do Bico do Papagaio explicou que sempre participa de ações do movimento, mas dessa vez o papel dele foi articular a comunicação com o grupo e as pessoas do município que iria receber a cesta básica.

“Participei de todo o processo para a organização das cestas. No começo ajudei nas reuniões virtuais que elas para uso da tecnologia e assim organizarem a ideia da entrega das cestas; participei da ‘ranca’ de mandioca pra fazer a puba. Tudo desde o início. As famílias foram selecionadas com a contribuição de todas. Elas pensaram em critérios como: ser mãe solo, adultos e jovens da família desempregados.”

 



Misereor Ford Foundation TFCA Inter America Foundation FBB Cese Brazil Foundation Fundo Amazônia PPP-Ecos Caritas Associação Nacional de Agroecologia Rede Cerrado FAOR Abong DoDesign-s Design & Marketing